Home / Solidariedade / Rui Costa diz que Bolsonaro visitou região atingida pela chuva, mas não procurou o governo do estado

Rui Costa diz que Bolsonaro visitou região atingida pela chuva, mas não procurou o governo do estado


Rui Costa comenta visita de Jair Bolsonaro nas regiões da BA afetadas pela chuva
Rui Costa comenta visita de Jair Bolsonaro nas regiões da BA afetadas pela chuva

O governador da Bahia, Rui Costa, relatou nesta segunda-feira (13), em entrevista ao Jornal da Manhã, telejornal da TV Bahia, que o presidente Jair Bolsonaro visitou cidades atingidas pela chuva, mas não procurou o governo do estado.

“Ele veio à Bahia e não fez nenhum contato com o governo do estado. O único contato que tivemos foi da Marinha do Brasil, o almirante me ligou, colocando dois helicópteros à disposição”, afirmou.

 

presidente Jair Bolsonaro esteve na Bahia no domingo (12) e sobrevoou pelas cidades atingidas pelo temporal, no sul do estado. Depois do voo, ele aterrissou em um estádio de futebol, na cidade de Itamaraju, onde foi recebido por pessoas aglomeradas no local – a maioria delas sem máscaras, assim como o presidente. Na Bahia, o uso de máscaras é obrigatório em pelo menos 385 cidades desde abril de 2020.

Presidente Jair Bolsonaro sobrevoa cidades atingidas por temporal na Bahia — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Presidente Jair Bolsonaro sobrevoa cidades atingidas por temporal na Bahia — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Ainda durante a entrevista, Rui Costa disse que o presidente “não veio prestar solidariedade” ao baianos, além de citar a agressão sofrida por jornalistas, durante a cobertura da passagem do presidente pelo estado. “Você viu o episódio de ontem [domingo]? Até quero prestar solidariedade aos profissionais que foram agredidos”.

“Ele [Bolsonaro] não veio prestar solidariedade, veio fazer carreata, e mobilizou seu fanáticos para ficarem gritando, fazendo ato político e agredindo repórter. O atual presidente o que ele gosta de fazer é agredir jornalista, fazer carreata e ato político, ao invés de cuidar da população”, finalizou.

 

“Infelizmente, não tenho grande expectativas [com o governo federal], mas quero tranquilizar a população que o governo estadual atuará, não só recuperando as estradas, mas ajudando as pessoas em situação de risco. Vamos apoiar as prefeituras para recuperar as cidades”.

Medidas adotadas pelo governo federal

 

Moradores ficam ilhados após temporal e são resgatados por helicóptero — Foto: Reprodução / TV Bahia

Moradores ficam ilhados após temporal e são resgatados por helicóptero — Foto: Reprodução / TV Bahia

Na última sexta-feira (10), o governo federal publicou uma edição extra do Diário Oficial da União e reconheceu, através do Ministério do Desenvolvimento Regional, a situação de emergência em 17 cidades da Bahia e em outras 32 de Minas Gerais. Nos últimos dias, os dois estados sofreram com fortes chuvas.

De acordo com a publicação, o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil Alexandre Lucas Alves reconhece a situação de emergência em decorrência de tempestade local seguindo decreto do governo da Bahia.

Os municípios baianos que tiveram reconhecimento da situação de emergência foram: Anagé, Camacan, Canavieiras, Guaratinga, Ibicuí, Itabela, Itacaré, Itamaraju, Itapetinga, Jiquiriçá, Jucuruçu, Marcionílio Souza, Mascote, Medeiros Neto, Santanópolis, Teixeira de Freitas e Vereda.

Já no sábado (11), o governo federal anunciou a liberação de mais R$ 5,8 milhões para diversos municípios baianos atingidos pela chuva. O recurso será liberado através do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e as portarias serão publicadas no Diário Oficial da União desta segunda-feira.

Ainda segundo o governo Federal, o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CENAD/SEDEC) tem operado em alerta máximo com a mobilização de servidores para articular com os órgãos do Sistema Federal de Proteção e Defesa Civil o desenvolvimento de atividades conjuntas para atender à população.

Segundo o secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil do MDR, coronel Alexandre Lucas, o reconhecimento da situação de emergência para os municípios facilita a ajuda do Governo Federal. “O decreto de situação de emergência facilita os municípios a agilizar os processos administrativos e permite acessar os recursos do Governo Federal”.

Força-tarefa do governo estadual

 

Reforço aéreo foi enviado para o extremo sul do estado — Foto: Divulgação / SSP-BA

Reforço aéreo foi enviado para o extremo sul do estado — Foto: Divulgação / SSP-BA

Segundo o governo estadual, os municípios recebem apoio da Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado (Sudec), que está em contato com as coordenações municipais de Defesa Civil para colher informações sobre as necessidades mais urgentes de cada localidade.

Entre as providências estão as orientações para a decretação de situação de emergência e a inscrição no sistema integrado de informações sobre desastres S2ID (da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil).

Além disso, aeronaves do Grupamento Aéreo da Polícia Militar (Graer) e da Casa Militar do Governo do Estado auxiliam no trabalho dos agentes do Corpo de Bombeiros Militar da Bahia.

O governo estadual destacou que a logística inclui também a distribuição de cestas básicas, colchões, lençóis, lonas, cobertores e outros itens, a partir das avaliações técnicas sobre a dimensão dos danos humanos, ambientais e materiais provocados pelas chuvas.

Fonte/G1 Ba

Facebook Comments


This will close in 20 seconds