‘Quanto mais armas nas ruas, mais vítimas inocentes e policiais’, diz Rui Costa ao lamentar morte de PM em Salvador

Por G1 BA


Rui Costa, governador da Bahia — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Rui Costa, governador da Bahia — Foto: Reprodução/Redes Sociais

O governador da Bahia, Rui Costa, lamentou a morte do soldado PM Leandro Cursino da Silva, baleado durante perseguição policial em Salvador, na segunda-feira (19). Nesta terça (20), Rui atribuiu os índices de violência por armas de fogo às políticas que facilitam o armamento da população. A fala do governador ocorreu durante uma coletiva para anunciar novidades com relação à progressão na carreira militar na Bahia.

“Infelizmente, as condições sociais e econômicas de nosso país agravaram a questão da violência, e esse agravamento expõe nossos policiais, não só da Bahia, mas do Brasil inteiro. Eu quero prestar minha solidariedade aos familiares do soldado Cursino, que infelizmente foi vítima desta violência. É por isso que o meu posicionamento é muito claro, transparente, contra essa política de armar a população e facilitar acesso as armas”, disse o governador.

“Infelizmente, quanto mais armas nas ruas, mais vítimas inocentes e policiais nós teremos, porque nós vamos ter milhares de pessoas com acesso às armas, mesmo que para essas armas sejam feitos cadastros de quem está se armado”.

 

As críticas tecidas por Rui são relacionadas aos decretos federais que flexibilizam o uso e a compra de armas de fogo no país. Esses decretos foram assinados pelo presidente Jair Bolsonaro e publicados em uma edição extra do Diário Oficial da União no fim da noite da última sexta-feira (12).

G1 entrou em contato com o governo federal, para obter um posicionamento sobre as críticas do governador da Bahia e aguarda resposta.

“Não é possível que cidadão tenha direito de portar até oito armas. Que eventualmente um caçador, etecetera, chegue a ter 60 armas. Isso é um arsenal. Então, na medida em que se perde controle disso, e essas armas são furtadas, emprestadas, desviadas, elas vão cair nas mãos de pessoas criminosas, ou na mão de pessoas que não têm temperamento e nem tranquilidade psicológica para portar uma arma”, pontuou.

“Ontem foi um de nossos policiais, fruto da política de facilitar a disseminação das armas. Essa política só interessa ao crime, seja qual for o tipo de crime. Desde aos criminosos historicamente conhecidos, como eventualmente as práticas milicianas criminosas, ou mesmo a pessoas desequilibradas que possam portar armas”.

 

Soldado Cursino

 

O soldado Leandro Cursino da Silva, foi morto a tiros enquanto trabalhava no bairro do Cabula, na capital baiana. O militar foi baleado após realizar uma abordagem a um suspeito de roubar uma motocicleta na localidade do Resgate.

Leandro Cursino chegou a ser socorrido para o Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), mas não resistiu. O soldado fazia parte da corporação há cinco anos.

Progressão de carreira para militares

 

Ainda nesta terça, o governador também falou sobre a progressão na carreira militar na Bahia. Rui Costa anunciou que vai enviar um projeto de lei para a Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), para garantir as promoções.

Essa medida foi tomada para garantir um menor fluxo das progressões, o que vai permitir que praça e soldados atinjam a formação de tenente em menor espaço de tempo, com relação ao quadro atual. Serão 4.256 vagas de promoção previstas para diferentes patentes, ainda neste ano.

A promoção da carreira de praças e oficias pode resultar em ganhos salariais para policiais e bombeiros. Esses ganhos variam conforme a patente dos militares. Para o governador, essa é uma medida que vai fazer a manutenção do estímulo dos profissionais.

“As pessoas precisam se ver progredindo na carreira. É da natureza humana as pessoas quererem subir as escadas da sua carreira profissional. Na hora que as pessoas se sentem estagnadas, isso se associa a desestimulo, que é o que nós não queremos”, argumentou.

Facebook Comments


This will close in 20 seconds