ITAMARAJU Repórter é agredido por policias em estágio probatório caso viraliza nas redes socias

Por: Redação / Mais Teixeira.

Durante a tarde desta terça-feira 12 de novembro, a redação do site Mais Teixeira, recebeu um vídeo e uma ocorrência policial onde relatava que o repórter Alexsandro da Conceição do (site Itamarajuurgente.com. br) teria sofrido uma agressão por parte de dois policiais militares que inclusivo um dos militares estaria em estágio probatório.

Por telefone nossa equipe de reportagem entrou em contato com o repórter Alexsandro Vieira, que confirmou o ocorrido. De acordo o repórter que na última quarta-feira (6) por volta das 17hs00 teria sido comunicado por internautas do seu portal de notícias, que havia ocorrido um acidente com um motociclista na Praça Castelo Branco, que ao chegar para cobrir o ocorrido quando estava fazendo a foto do local do acidente e sem identificar a vítima, um policial militar veio e lhe abordou dizendo “Olha aqui não pode fazer foto e que o mesmo exigiu que o repórter apagasse as fotos, pois a vitima ia lhe processar”.

Assista o vídeo:

Vídeo cedido por: Redação / Mais Teixeira.

Segundo Alexsandro que no momento só respondeu o militar que estaria fazendo o seu trabalho que não iria apagar a foto, que logo em seguida se afastou do policial indo em direção à viatura que estava no local fazer outra foto mais aberta, foi quando o militar veio em sua direção aproximou e disse que o repórter estava lhe afrontando, pois não era para ele fazer mais foto, e logo em seguida o PM enfurecido agarrou o seu braço e imobilizou para trás como se fosse lhe algemar empurrando para os fundos da viatura, e dizendo que ia lhe conduzir para delegacia, e que momento nem um ele reagiu.

Alexsandro, ainda relatou que o militar que estava lhe conduzindo pediu apoio outros militares que estava no local, para que lhe levasse até a viatura , quando outro PM veio e lhe deu um chute e uma gravata logo em seguida outro PM lhe desferiu dois socos lhe atingindo o seu abdômen, quando  a população viu o que estava acontecendo começou “Gritar ele é trabalhador, pois ele está fazendo o seu trabalho”, logo após veio o cabo que estava no local prestando socorro à vítima e impediu as agressões e logo em seguida ele foi liberado.

Nossa reportagem entrou em contato com a Major PM Érica Cristina Evangelista Almeida, que nos informou por telefone que no dia ela não estava na cidade, pois teria viajado a trabalho, mais assim que chegou foi informado pelo oficial do dia, o que tinha acontecido, pois Já tava apurando a situação, que antes de quaisquer especulações os fatos teriam que ser apurado e teria que ouvir as duas partes envolvidas, pois até o momento o repórter não lhe procurou para relatar o que aconteceu.

O site Mais Teixeira deixa aberto para que os demais envolvidos nesta triste situação possam da a sua versão.

Fonte/maisteixeira

Facebook Comments


This will close in 20 seconds